CAPITÃES DA AREIA – PERSONAGENS

 A obra não possui um personagem principal. Para indicar um protagonista, o mais apropriado seria apontar o conjunto do bando, ou seja, os Capitães da Areia como grupo. Isso porque as ações não giram em torno de um ou de outro personagem, mas ao redor de todos. Pedro Bala, o líder do bando, não é mais importante para o enredo do que, por exemplo, o Sem-Pernas ou o Gato. Pode-se dizer que ele é o líder do bando, mas não lidera o eixo do romance. Daí a ideia de que o protagonista é o elemento coletivo, e cada membro do grupo funciona como uma parte da personalidade, uma faceta desse organismo maior que forma os Capitães da Areia.

Pedro Bala – Líder dos Capitães da Areia com 15 anos, tem o cabelo loiro e uma cicatriz de navalha no rosto, fruto da luta em que venceu o antigo comandante do bando. É ágil, esperto, temido e respeitado por todos do grupo. Traz nos olhos e na voz a autoridade de chefe. Nunca soube de sua mãe, e seu pai, conhecido como Loiro, era estivador e liderara uma greve no porto, quando foi assassinado por policiais. Há dez anos Bala vagabundeia pelas ruas da Bahia. Ele ficou sozinho e empregou anos em conhecer a cidade. Hoje, sabe de todas as suas ruas e de todos os seus becos. Ele é quem mais se aproxima de um protagonista da história, pois serve como uma espécie de linha condutora, dando um caráter coesivo aos diversos quadros que são apresentados ao longo da narrativa.

Sem-Pernas – Deficiente físico, possui uma perna coxa. Preso e humilhado por policiais bêbados, que o obrigaram a correr em volta de uma mesa na delegacia até cair extenuado, Sem-Pernas conserva as marcas psicológicas desse episódio. Isso provocou nele um ódio irrefreável contra tudo e todos, incluindo os próprios integrantes do bando. Morre ao se jogar de um penhasco, a fim de não se entregar à polícia.

Gato – É o galã dos Capitães da Areia. Bem-vestido, domina a arte da jogatina, trapaceando, com seu baralho marcado, todos os que se aventuram numa partida contra ele. Além dos furtos e do jogo, Gato consegue dinheiro como cafetão de uma prostituta chamada Dalva, e, por isso, muitas vezes não dorme no trapiche. Só aparece ao amanhecer, quando sai com os outros para as aventuras do dia.

Professor (João José) – Intelectual do grupo, deu início às leituras depois de um assalto em que roubara alguns livros. Além de entreter os garotos, narrando as aventuras que lê, o Professor ajuda decisivamente Pedro Bala, aconselhando-o no planejamento dos assaltos. Com seu dom de pintar, acaba indo ao Rio de Janeiro tentar sucesso.

Pirulito – Garoto magro e muito alto, com olhos encovados e fundos, era o mais cruel do bando, até que, tocado pelos ensinamentos do padre José Pedro, converte-se à religião. Executa, com os demais, os roubos necessários à sobrevivência, sem jamais deixar de praticar a oração e sua fé em Deus.

Boa-Vida – O apelido traduz seu caráter indolente e sossegado. É mais um malandro da cidade, que faz sambas e canta pelas ruas, nas calçadas e nos bares. Contenta-se com pequenos furtos, o suficiente para contribuir para o bem-estar do grupo, e com algumas mulheres que não interessam mais ao Gato.

João Grande – É um negro respeitado pelo grupo em virtude de sua coragem e da grande estatura. Com 13 anos, possui cabelo crespo e baixo e músculos rígidos. Por ser uma pessoa muito boa e forte, ajuda e protege os novatos do bando contra atos tiranos praticados pelos mais velhos.

Volta Seca – Mulato sertanejo de alpargatas, é imitador de pássaros e tem ódio das autoridades. Admirador do cangaceiro Lampião, a quem chama de padrinho, Volta Seca sonha com o dia em que participará de seu bando.

Dora – Seus pais morreram, vítimas da varíola, quando tinha apenas 13 anos. É encontrada com seu irmão mais novo, Zé Fuinha, pelo Professor e por João Grande. Ao chegar ao trapiche abandonado, onde os garotos dormem, Dora quase é violentada, mas, tendo sido protegida por João Grande, o grupo a aceita, primeiro como a mãe de que todos careciam, depois como a valente mulher de Pedro Bala. Morre devido a uma forte febre, e se torna uma santa para os meninos, por causa da sua bondade. Para Pedro Bala, ela se tornara uma estrela.

Padre José Pedro – padre de origem humilde, só conseguiu entrar para o seminário por ter sido apadrinhado pelo dono do estabelecimento onde era operário. Discriminado por não possuir a cultura nem a erudição dos colegas, demonstra uma crença religiosa sincera. Por isso, assume a missão de levar conforto espiritual às crianças abandonadas da cidade, das quais os Capitães da Areia são o grande expoente.

Querido-de-Deus – Pescador e grande capoeirista da Bahia, respeita o grupo liderado por Pedro Bala e é respeitado e admirado pelos meninos. Ensina sua arte para alguns deles e exerce grande influência sobre os garotos.

Dalva É uma prostituta de uns trinta e cinco anos, com corpo forte e rosto cheio de sensualidade. Gato a deseja imediatamente, tornando-a sua amante.

João de Adão – Estivador, negro, muito forte e antigo grevista, é igualmente temido e amado em toda a estiva. Através dele, Pedro Bala soube do pai.

Don’Aninha – Mãe de santo, sempre socorre os meninos em caso de doença ou necessidade.

Caboclo Raimundo – Era chefe dos Capitães da Areia antes de Pedro Bala. Foi ele quem cortou o rosto de Pedro Bala, indo logo embora após isso.

Almiro – Um menino de 12 anos, gordo e preguiçoso, que morreu de bexiga.

Barandão – Foi nomeado chefe do grupo depois que Pedro Bala partiu para o grupo dos Índios Maloqueiros de Aracaju, onde tenta organizá-los como os Capitães de Areia.

Loiro – Pai de Pedro Bala, era líder sindical nas greves antigas ao lado de João de Adão. Morreu em uma dessas greves.

14 comentários:

  1. Existe uma ironia entre o titulo do capitulo e a personagem sem-permas.explique?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ao meu entender, o titulo é dado devido ao trapiche dos meninos se localizar na praia

      Excluir
    2. Não. Nenhum dos títulos fazem ironia ao Sem-Pernas.. Ele é um alejado, que usava isso para convencer os ricos e ver os mais valorosos objetos para furtar. Ele sempre é introduzido no meio dos capitulos: sempre chingando, tirando sarro, zuando......

      Excluir
  2. Senta no meu palhaço (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. para de ser trocha vai ler um livro .. fica publicando besteira ... sem futuro .

      Excluir
  3. adorei o blog , explica bem. tem tudo o que eu queria saber.
    adorei muitooooo ...

    ResponderExcluir
  4. adorei o blog!! me ajudou mto!!
    E a Dona Ester/

    ResponderExcluir
  5. só faltou explicar sobre o reformatório mas, até que sobre os personagens está bom ..

    ResponderExcluir
  6. Qual era o nome do sem pernas no livro?? Ou era só o apelido q ele possuia??

    ResponderExcluir
  7. Me ajudou bastante :)
    queria características físicas de professor.

    ResponderExcluir
  8. Marcela Ribeiro Aragão27 de junho de 2014 17:05

    Adorei esse livro, ele é bom e eu recomendo!!!
    No começo eu não entendi muito, mas logo gostei e li ele em um dia!!!!
    :)

    ResponderExcluir